quinta-feira, 18 de agosto de 2016

OLIMPIADAS 11

   E aconteceu uma coisa que ninguém previu: as norte-americanas do revezamento dos 400m correram sozinhas na pista. Fizeram o melhor tempo e estão na final. E tudo porque uma das nossas atletas atrapalhou a passagem do bastão das gringas na semifinal. Recorreram e ganharam. E ganharão de novo amanhã na pista, como sói acontecer.
   O nadador norte-americano Lochte deu uma de migué, jogou a farra nas costas da segurança pública do RJ e viajou pra casa lépido e fagueiro. Deixou pra trás os coleguinhas de bagunça madrigal e uma farsa grotesca já desmontada pela polícia. Coisa feia, seo Lochte! Fez pior que o francesinho do salto com vara, A-vilania, que pelo menos recebeu umas vaias de troco. E vaias com endereço certo, não gratuitas.
    No frigir dos ovos, a Olimpíada carioca tá melhor que a encomenda. Deixou de render piadas para render elogios. Vem aí a cerimônia de encerramento. E a tão esperada medalha de ouro no futebol masculino. Arrisco o palpite, desta vez, sem receios. Chega de zika. A Hope já foi embora.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

OLIMPIADAS 10


Espírito olímpico, coisa de atleta.
Paixão, coisa de torcedor.
Quem não teve espírito olímpico, portanto, foi o francês do salto com vara. Atleta de merda se mostrou o tal sujeito. Esnobe, arrogante, adotou uma postura petulante diante dos problemas com o elevador da barra e para com os saltos iniciais dos concorrentes. Tirava sarro, dava gargalhadas e ficou de costas para os saltos.
Toda arrogância será castigada. Perdeu feio, comportou-se mal, borrou-se na saída.
A torcida fez o que sabe fazer, torceu. E o atleta francês, que não merece ter o nome escrito aqui, não cumprimentou o campeão Tiago Braz e chamou a torcida de "público de merda". Um merdinha e tanto, esse sujeitinho.
O que querem os gringos da torcida brasileira? Que se comporte como a torcida sueca? Ou como os holligans ingleses? 
Não podemos nos comportar de modo diverso do ser brasileiro. Somos brasileiros os atletas olímpicos. Treinamos em condições amadoras, na maioria e quase todo o tempo. Raros são os que treinam no exterior, em condições de igualdade. Treinamos em quintais, em piscinas de clubes, em pistas de cimento, somos terceiro-mundistas, não é assim que se referem a nós? E, sim, não temos o sistema educacional nem a qualidade de vida dos gringos reclamões. 
Os grandes astros, os primeiro-mundistas não suportam o barulho? Ora, o barulho é pra todos. Não aguentam uma vaia? A vaia é a ajuda que a torcida pode dar a nossos atletas. E nem sempre serve à vitória. Que o diga o quadro de medalhas. 
Os gringos querem ganhar tudo e que nós, os brasileirinhos, fiquemos calados ou batendo palmas pra eles. Ora, sabem onde fica a casa da vovozinha?

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

OLIMPIADAS 9


   Vou falar da seleção, calma! Mas, depois.
   Antes, babados: coisas que sabíamos inevitáveis acontecer em solo e clima tropicais.
   Imaginem a testosterona e o feromônio soltos numa Vila Olímpica... não perguntem às camareiras, pois pode dar polícia na hora.
   Até nesse departamento, parece que a organização falha. Seria necessário, mesmo, pedir à companheira de quarto para "sartar fora", "desocupar" o espaço para se experimentar saltos e remadas com um novo parceiro? Pareceu birra. E deu rolo depois.
   Aí o medalhista vai comemorar nas ruas do Rio. Não pode haver algo mais temerário. Será que o manual não alertou o pessoal para os riscos? O rapaz acabou sem o celular e levando umas porradas, para aprender a ficar "esperto", como dizem os cariocas. Mas tá vivo. Se eu fosse ele, me agarrava à medalha e seguia comemorando na Vila Olímpica, onde a batata parece mais rasa e não intoxica.
   Jornalistas esportivos precisam aprender um pouco mais com os correspondentes de guerra. E ouvir menos a paranoia de coleguinhas que serviram o exército americano. Presse pessoal, qualquer estalo é tiro. Levar pedradas talvez seja mais perigoso. Mas é muito estardalhaço por pouco barulho.
   Desavisado, despreparado mesmo, assisti ao Galvão Bueno narrar provas do Phelps. Amigos, algo rivaliza com o deslimite da estupidez humana: o deslimite da histeria galvânica. Aquilo não era narração empolgada, parecia mais estertores de uma galinha degolada. 
   Ah, a seleção. O Micale deve agradecer aos céus a cegueira do técnico dinamarquês. Pois é só plantar a defesa e fechar o meio que os nossos craques não sabem o que fazer. Partiram pra cima, deram o contra-ataque ao Brasil, tudo o que a seleção precisava: espaço para a correria dos "Gabrieis", como diz o Chatotorix Neto, e do avozinho deles, Neymar Jr. Foi de dar dó. Até o Renato Augusto partiu da intermediária com a bola pra dentro da área dinamarquesa. Foi pouco. Podia ter saído mais uns três, mesmo porque a Fonte Nova não para de jorrar gols.
   Olimpíadas a la Brasil é isso: farra das boas, do começo ao fim.
 

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

OLIMPIADAS 8

 
   Vejam vocês se não estou certo: a maior piada destas Olimpíadas chama-se Micale. O cara carrega o mico até no nome. A culpa é, sim, de quem convoca, de quem escala, de quem define sistema de jogo. Portanto, a culpa é do Micale. Enfrentar dificuldade, é uma coisa normal. Criar dificuldade para si mesmo é o pior tipo de burrice. Uma burrice micaleana.
   Tudo é possível, é verdade. Mas é fato que não há limite para a estupidez humana. Aqui em Salvador sempre sai gols em jogos na Fonte Nova. Como não conseguimos fazer... Preparem seus corações! Micale para sempre na história!
    Dá um certo prazer saber que os figurões passaram fome e sede durante a cerimônia de abertura das Olimpíadas. Não havia serviço na tribuna. E quem quisesse comer e beber, que se virasse. Já imaginaram Temer na fila do sanduba? Fiquei com pena do Pezão, que tá dodoi.
    A ventania derrubou placas e adiou competições. Nosso inverno não é brincadeira. Tem deixado as nórdicas embasbacadas, mas é sempre inverno.
    Saiu a primeira medalha de ouro. E não podia ter endereço melhor. Cidade de Deus. Confesso que me emocionei com o público gritando: ypon, ypon, ypon! A arbitragem ensaiou uma sacanagem, mas Rafa botou pra ferver, não deu chance à derrota.
     Rapaz, dizem que a Gisele errou no desfile. Como isso é possível? Já imaginaram se sai tudo certo, certinho, certão? As emergências ficariam lotadas. Esse pessoal é exigente demais...
   
    

sábado, 6 de agosto de 2016

OLIMPIADAS 7


   Começaram! Pra valer, agora.
   Mas, antes de começarem, algumas coisinhas aconteceram: um técnico australiano (que coisa!) de uma equipe coreana foi detido por furar a fila duas vezes e debochar da segurança. Se assim foi, merecido.
   E um boxeador marroquino foi parar em Bangu I, presídio de segurança máxima, acusado de estupro por duas camareiras. Nem o exemplo do ex-presidente do FMI faz esse pessoal entender que, na marra, nem a pedido. Xô!
   Então veio a abertura oficial e, confesso, que ainda estou embasbacado. Deu tudo certo. E o que não deu, se é que houve, passou praticamente despercebido. Criatividade, economia, inventiva, luz e cor, alumbramento, impacto visual, soluções inspiradas no improviso brasileiro, segundo seus criadores. Não sei, mas funcionou. A repercussão tem sido boa. E parece que gerou um clima positivo inquestionável.
   Nosso complexo de vira-lata vai precisar esperar agora a cerimônia de encerramento. E o amarelão da seleção masculina de futebol gerar mais um fracasso retumbante. 
    Pois o esquema tático já tá manjado: bola no Neymar Jr. E o cara tá voltando de férias, cansadão das baladas, intoxicado de tanta alegria e sol, né? Aí ele recebe a bola, corta pra dentro e arrisca um chute. Numa dessas até pode entrar, mas...
   As filas deram o tom na primeira manhã, por conta das revistas de mochilas e bolsas. Acho que com o correr dos dias, o pessoal vai aprender a ir apenas com dinheiro pra lá.
   E os russos, fiquei sabendo depois, já estavam no Brasil em grande quantidade. Fiquei ligado na Isinbaieva, que tá lá, mas já tem gente se preparando para as competições.
   Tou procurando, em cada bateria e esporte, os mais fraquinhos pra torcer. É por quem vale a pena.
 

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

OLIMPIADAS 6


   E a coisa começou amarelando: contra a África do Sul, com um a mais desde começo do segundo tempo, não conseguimos fazer um golzinho. Isso, com o ataque mais prestigiado das Olimpíadas. Uma piada de mau gosto. Mas quem sabe assim o amarelão sai de cena logo, para a entrada de um pouco de brio.
   Quem deve estar gostando é o Barcelona, pois depois de férias intensas o Neymar Jr. está fazendo sua pré-temporada com alta exposição na mídia. Tudo nos conformes. E quando a Olimpíada acabar, o Neymar Jr. chega inteirinho e pronto para as batalhas europeias pelo Barça, que é o que verdadeiramente importa e interessa às partes. Os Gabrieis, como diz o craque Neto, o Chatotorix da tevê brasileira, estão mais lisos que bunda de modelo, saem de todas, afinal de contas um já foi por 122 milhões e o outro vai a qualquer hora, que é o que verdadeiramente importa etc e tal.
  E o COI faz sua piadinha cascuda: libera 270 e tantos atletas russos para as Olimpíadas. Como assim? As Olimpíadas começam oficialmente amanhã! Esse pessoal precisava estar preparado para as competições e ainda terá que cruzar o planeta para chegar aqui. Eu não viria mais! Talvez para beber água de coco e dar uns rolês na night carioca. Pois os caras são duro na queda. O vice-cônsul da Rússia, hoje, reagiu a um assalto, tomou a arma do bandido e o matou em plena av. das Américas. É por isso que o Trump gosta dos caras. Apesar de que o tal vice-cônsul parece que é brasileiro, a confirmar.
   As meninas do volei do Brasil anunciaram que estão fora das redes sociais durante as competições. Foco. Espantoso, também a confirmar.
    A organização já admite que as Olimpíadas vivem um sério momento. Estas vão dar um filme oficial e tanto, de qualquer maneira, confirmadíssimo. 
    Meu Deus, que o Pelé amanhã não tropece.

OLIMPIADAS 5


   Anotem aí: o prédio da Austrália é o de número 23. Pra quem joga no bicho ou tá procurando uma dezena quente para a Mega do dia dos Pais, fica a dica.
   Coisa muito comum por aqui aconteceu a um ciclista coreano: foi atropelado. Mas também ele achou de dar suas pedaladas lá na Vista Chinesa. Alguma ironia há nisso.
   Notícias circulam dando conta de sabotagem feita por trabalhadores insatisfeitos com horas extras não pagas e desvios de função. Dizem que os estragos nos apartamentos foram provocados por eles etc e etc, pois quem tem a mídia nas mãos diz o que bem quer a hora que deseja. Já os trabalhadores, os que ainda labutam por lá, estão enfrentando fila de hora para fazer refeições. Quando pegam a refeição já está na hora de voltar pro trampo. Já falam em greve na Vila Olímpica.
   Reclamam muito, ainda, das bandejas de comida pronta que estão sendo atiradas no lixo por conta de uma resolução da Anvisa, que estabelece um tempo máximo de exposição nas prateleiras. Falam em toneladas de boa comida indo pro lixo todos os dias. Não entendi de quem reclamam, se da Prefeitura da Vila ou da Anvisa. Mas jogar comida fora em país de "segundo mundo", como disse uma australiana, realmente é uma ofensa aos que têm fome, muita fome por essas periferias do luxo.
   Uma boa coisa pra encerrar: a CBF tomou dose cavalar de semancol e tirou seu escudo da camisa das seleções brasileira de futebol que disputam as Olimpíadas. Botou no lugar uma bandeirola estilizada do Brasil. Bacana. Fiquei muito afim de comprar uma dessas, coisa rara e preciosa não carregar aquele escudo no peito.